domingo, 29 de janeiro de 2012

Esse aí, aquele lá, aquilo mesmo; complexado crônico

Não adianta tentar impressionar, e menos ainda esperar mais pra dizer algo porque seria agradável ouvir.
Eu sou crônico, e os modos estratégicos - mesmo os benéficos que hipoteticamente resultam em sucessos - sejam de quaisquer aspectos -, fogem da minha essência. Libertário. Qualquer coisa boa me perturba. Coisas lógicas, óbvias, engraçadas, compreensíveis... Esse tipo de normalidade não se relacionam comigo. Seria uma imensa auto-traição agir de um modo diferente com as coisas! Seria deixar de ser isso que sou e vêem de mim. E o que vêem de mim, se por um lado não me importa, me sustenta as colunas da estima; do apreço e do respeito deles - que não sei quem são - para com a minha pessoa. Calma, espera um pouco, deixa só eu mijar que já volto pra finalizar.
Pronto.
Estava preocupado com o tempo que levaria para a bexiga esvaziar e a possibilidade de alguém fugir daqui ou, quem sabe eu fugir do assunto que na certa eu esqueceria. Acabei nem curtindo a sensação de saciedade. "To achando que fiquei bêbado."
Mas não fiquei. Tenho certeza, eu só bebi pouca coisa na tarde que há muito se tornou noite imemorável, e agora, 05:36 do dia de domingo. Pera aí, era sobre outra coisa que eu estava falando... Que nada, não era sobre nada que eu estava "falando"... Eu queria dizer, mas me falta assunto. Me falta acontecimentos.
Faz dias que não saio. De dentro de mim, pra dizer a verdade, para quem está aí fora; falta um monte de coisas que eu poderia falar sobre alguma coisa. Desculpa aí, você! Eu sei que está sendo cansativo essa espera. Não me leve a mal. Como todo o respeito, não sei o que está fazendo aqui. Essa casa é minha e eu apenas deixei a porta aberta. Desculpe pelo transtorno. Garanto que só desejo coisas boas, mesmo quando não sei o que dizer.
"E to tentando!"
Não tenho porque me preocupar em delongar, de me engasgar com as palavras até encontrar um assunto qualquer pra justificar a falta de foco desde o início e, quem sabe te enganar tão bem a ponto de você sair daqui querendo mais?..."Certo, eu admito que exagero, mas garanto que não crio espectativas com leitores". Eu disse leitores? É hora de rir!
Tá certo, eu vou admitir mais uma verdade, até o instante momento não disse sobre nada em específico porque acredito não precisar. Mas (não me responda) quem quer mesmo que eu diga algo específico? Já existem tantas mídias gerando e reproduzindo conteúdo específico... Eu não sou uma mídia nem um produto dela. Você poderá enxergar pretencionismo, mas não quero fazer o mesmo que os outros fazem, eu botei esse blog no ar pra ganhar tempo enquanto não me aproveito de nada além das minhas próprias idéias para garantir exclusividade nos devaneios ou desvaneios, publicando coisas que eu gostaria de ler. Sendo o que eu espero ver. Saca?
Então, na verdade é isso que eu quero ver. Você aí sendo o que eu já sou.
Se é uma forma digna de comunicação? talvez não para pessoas normais. Mas com certeza... ah, vai... sem tanta certeza. Só pela possibilidade. De que questões desnecessárias como essa insignifiquem a pelo menos mais um ser humano, fora eu mesmo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Diz-me o que vibra.

Seguidores